OS PILARES DA REFORMA PROTESTANTE

ESTES SÃO OS PILARES DA REFORMA PROTESTANTE, CINCO SOLAS:
1- Sola Scriptura (do Latim: Somente as Escrituras):
Quando foi pedido que Lutero se retratasse, ele disse: “A menos que eu seja convencido pelo testemunho das Escrituras ou pelo mais claro raciocínio; a menos que eu seja persuadido por meio das passagens que citei; a menos que assim submetam minha consciência pela Palavra de Deus, não posso retratar-me e não me retratarei, pois é perigoso a um cristão falar contra a consciência. Aqui permaneço, não posso fazer outra coisa; Deus me ajude. Amém”. Martinho Lutero disse isso pois a opressão dos líderes católicos era massante. A Igreja Católica colocava a tradição como equivalente ou superior às Escrituras. Segundo a igreja católica, ela tinha canonizado os livros que julgava serem santos, revelados, ela reproduziu a Bíblia, por isso tinha este domínio. A Reforma veio para dizer que somente a Bíblia e toda a Bíblia é a via de fé e prática de todo cristão, sendo a Palavra de Deus e estritamente ligada à sua Pessoa, sendo assim, superior a qualquer tradição e a pura verdade. É através das Escrituras que Cristo para nós hoje se torna revelado.

2- Solus Christus (do Latim: Somente Cristo):
Afirma que não há salvação fora de Cristo, ele é o nome dado pelo qual devamos ser salvos, é o Verbo Divino, A Esperança de Israel, O Renovo de Jessé, O Messias, O Caminho, a Verdade e a Vida. A reconciliação entre Deus e os homens. Somente Cristo Salva pela graça redentora. “Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos” (At 4.12). “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” (Jo 14.6). “Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus” (1 Tm 2.5). Sola Scriptura só existe por causa do Solus Christus. Ou seja Deus em Seu eterno propósito, escolheu Jesus Cristo, Seu Filho unigênito, para ser o Mediador entre Deus e os homens (Isaías 42:1; 1 Pedro 1:19-20), o Profeta (Atos 3:22), o Sacerdote (Hebreus 5:5-6), o Rei (Salmos 2:6; Lucas 1:33), o Cabeça e Salvador da Igreja (Efésios 1:22-23), o herdeiro de todas as coisas (Hebreus 1:2) e Juiz do mundo (Atos 17:31); a quem, desde toda a eternidade, deu um povo para ser Sua posteridade e para ser por Ele, no tempo, remido, chamado, justificado, santificado e glorificado. (Isaías 53:10; João 17:6; Romanos 8:30)

3- Sola Gratia (do Latim: Somente a Graça):
Quer dizer favor imerecido, misericórdia que se prolonga de eternidade a eternidade, capaz de salvar o indivíduo não por méritos, não por indulgências, compras de pedaços dos céus, confissões ao sacerdote, nada disso. Graça é graça, de graça, pra salvar independente das obras àquele que atende ao convencimento do Espírito Santo de que Cristo é a salvação, e o produto disto é a graça! Favor que nos salva de nós mesmos! “Somos como o impuro – todos nós! Todos os nossos atos de justiça são como trapo imundo. Murchamos como folhas, e como o vento as nossas iniquidades nos levam para longe” (Is 64.6).“Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie” (Ef 2.8-9). Ou seja, o homem não pode salvar a si mesmo, nem fazer qualquer coisa para merecer o perdão. É da livre graça de Deus. Depende do amor e da misericórdia de Deus, manifestos no sacrifício de Jesus e confirmados na sua ressurreição.

Mesmo a fé que temos não procede de nós mesmos, mas é o resultado da operação do Espírito em nós. Como Paulo bem disse em Ef 2.8,9: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé, não vem de vós, é dom de Deus, não de obras, para que ninguém se glorie”. Portanto não há nenhuma obra que o homem possa fazer para ganhar a sua salvação. Segundo as escrituras, todos nós pecamos (Eclesiastes 7:20, Romanos 3:23, 1 João 1:8). Como resultado do pecado, todos nós merecemos a morte (Romanos 6:23) e julgamento eterno do lago de fogo (Apocalipse 20:12-15). Com isso em mente, todo dia que vivemos é um ato de misericórdia de Deus. Se Deus nos desse tudo que merecemos, todos estaríamos, agora, condenados por toda a eternidade. No (Salmo 51:1-2), Davi clama: “Tem misericórdia de mim, ó Deus, por teu amor; por tua grande compaixão apaga as minhas transgressões. Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me de meu pecado.” Um apelo a Deus por misericórdia, é pedir a Ele que suspenda o julgamento que merecemos e, ao invés, conceder perdão que não merecemos. Não merecemos nada de Deus. Deus não nos deve nada. E qualquer coisa boa que tivermos em nossas vidas é um resultado da abundante graça de Deus (Efésios 2:5). A salvação é pela graça de Deus.

4- Sola fide (do Latim: por fé somente):
Também conhecida, historicamente, como doutrina da justificação pela Fé, é a doutrina que distingue o protestantismo das outras igrejas, tais como Católica Romana, Igreja Ortodoxa e outras seitas quem ensinam uma justificação por intermédio das obras. Ela afirma que a fé é a razão de Deus manter comunhão com o homem. Ela é suficiente e a base de uma vida Cristã. É o escudo e a espada, onde nos possibilita a caminhar por esperança, amor, sem ver, sem vistas, mas por ela e somente por ela… pela fé! “O justo viverá pela fé” (Rm 1.17). “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo” (Rm 5.1). “Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam” (Hb 11.6). Ela deve estar assegurada e muito bem fundamentada nos ensinos do Sola Scriptura.

A fé genuína sempre se submeterá alegremente ao senhorio de Cristo. Ela irá crer e confiar na palavra dEle. Isso também quer dizer que a fé irá necessariamente levar ao arrependimento. Ela não irá persistir numa atitude de desafio e rebelião contra o Senhor, mas irá reconhecê-lo como Senhor em todas as áreas de sua vida. Ela irá carregar o fruto do amor por Cristo e pelo povo dEle. Acreditar na justificação somente pela fé, é acreditar que somente Cristo salva. Paulo afirma: “Não aniquilo a graça de Deus, porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu em vão” (Gálatas 2:21). Os que não acreditam na doutrina bíblica da justificação pela fé; na verdade não estão confiando somente em Cristo para sua justiça, e, portanto, estes não estão salvos. Isto não é para sugerir que alguém deve ter capacidade de articular todas as nuanças da justificação para ser salvo, apenas que em seu coração, ele deve acreditar na doutrina bíblica da salvação.

5- Soli Deo glória (do Latim: Glória somente a Deus):
É o princípio segundo o qual toda a glória é devida a Deus por si só, uma vez que salvação é efetuada exclusivamente através de sua vontade e ação. Não só o dom da expiação de Cristo na cruz, mas também o dom da fé, criada no coração do crente pelo Espírito Santo. Os reformadores protestantes acreditavam que os seres humanos – mesmo santos canonizados pela Igreja Católica Romana, os papas, e as autoridades eclesiástica – não eram dignos da glória que lhes foi atribuída. Enquanto a Igreja Católica Romana buscava a glória dos papas e seus liderados, dos imperadores, da prata e ouro, Deus nos faz lembrar aqui que não divide sua glória com ninguém, e como Jesus respondeu na tentação no deserto: Somente a Deus adorarás e só a Ele prestarás culto. “Eu sou o SENHOR; este é o meu nome! Não darei a outro a minha glória nem a imagens o meu louvor” (Is 42.8). “Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus” (1 Co 10.31).

Curta: https://www.facebook.com/MachadoaRaiz/
#KikoReformado

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s