Por que matar é errado?

Por que matar é errado?

Você acredita que o bem e o mal existam?
A resposta a essa questão é a diferença entre os valores cristãos e os valores seculares (desse mundo).
Um exemplo claro é esse: Assassinato é errado? é maligno?
Quase todas as pessoas responderiam sim.

Farei uma outra pergunta a essa: como você sabe que assassinato é errado?

Se eu te perguntar se a Terra é redonda, você me mostraria fotos tiradas do espaço ou outros dados, mas que tipo de fotos você pode me dar que provem que assassinato é errado? que estupro é errado? ou o roubo? A verdade é que não dá pra fazer isso.
A verdade é que não existem fatos morais sem Deus.

Em uma sociedade sem temor às Leis de Deus, apenas opiniões morais podem existir. Podem ser opiniões pessoais ou da sociedade, mas não passam disto. Todo filósofo ateu que eu li ou debati, reconheceu que sem Deus, não existe moralidade objetiva, absoluta.
Os valores cristãos são baseados na existência de um Deus moral e absoluto, ou seja, assassinato só é errado se houver um Deus que diga isso: NÃO MATARÁS! Caso contrário, toda moralidade não passa de opinião. Toda a civilização ocidental é baseada neste princípio.

Esclareço 2 coisas:
1. Não estou dizendo que você é mau só por não acreditar em Deus e suas Leis. Existem várias pessoas morais e gentis que não acreditam em valores cristãos. Mas a existência dessas pessoas não tem nada a ver com a questão da existência do bem e do mal, se Deus não existe.
2. Existem várias pessoas que acreditam em Deus e não são boas pessoas, de fato, várias têm sido más, chegando a usar o nome de Deus para fazer o mal.

A existência de Deus não garante que as pessoas vão fazer o bem, quem me dera! A existência de Deus garante apenas que o bem e o mal existem de forma objetiva e que o bem e o mal não se tratam de opiniões.

Sem Deus, o resultado final que obtemos é o relativismo moral, que defende que a moral não é absoluta mas relativa ao indivíduo ou à sociedade.
Sem Deus, as palavras “bem” e “mal” são outra forma de dizer: “gosto” e “não gosto”.
Sem Deus, a afirmação “assassinato é algo mau” é o mesmo que dizer “não gosto de assassinatos”.

Muitos irão argumentar que não é necessário uma moral absoluta, alegando que ninguém vai matar pois ninguém quer ser morto. Mas esse argumento é uma ilusão: Hitler, Stalin e Mao não queriam ser mortos mas isso não os impediu de assassinar cerca de 100 milhões de pessoas.

Não é por acaso que a rejeição dos valores cristãos no mundo ocidental por nazistas e comunistas levou ao assassinato de todos estes inocentes. Não é por acaso que as primeiras sociedades a abolirem a escravidão, que foi uma instituição que existiu em todas as sociedades conhecidas, foram sociedades ocidentais baseadas em valores cristãos e também foram as primeiras a afirmarem diretos humanos universais, a emancipar as mulheres e a proclamarem o valor da liberdade.

Hoje, a a rejeição dos valores cristãos e dos valores morais absolutos resultou em um mundo de confusão moral. A maioria das pessoas hoje em dia enxerga afirmações morais como mera opinião.

Qualquer que seja a sua visão sobre Deus e religião, aqui está um fato: sem Deus sendo a fonte de moralidade, a moralidade torna-se apenas uma opinião. Então, se você quer um mundo bom, você deveria temer a morte dos valores cristãos.

Dennis Pragger

Anúncios

2 comentários sobre “Por que matar é errado?

  1. Bem… Eu pesquisei isso pensando em uma curiosidade que seria “se deus matar alguém se tornará errado?” pois o dilúvio foi uma prova que ele matou várias pessoas pois quem mandou o dilúvio foi ele certo? E sinceramente no efeito borboleta (as possibilidades de destino e escolhas que afetara seu presente) o dilúvio não era a única solução pois ele pode tudo né? O KI dele é praticamente muito mais evoluído que o nosso então ele já deve ter pensado em outras possibilidades. E o fato das pessoas dizerem que ele sabe tudo o que vai acontecer é simplesmente uma farsa, pois existe milhares de possibilidades mesmo que você saiba todas elas você só vai ter probabilidades e não uma conclusão

    (meu português é péssimo então espero que você entenda o que quero dizer, deixei o texto mais compreensivo possível no meu ponto de vista)

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá Victor, desculpe-me a demora em responder, mas esses dias foram tumultuados.

      Acho que entendi o seu ponto de vista, bem, vamos às premissas básicas para desenvolvermos uma linha de raciocínio.
      Deus, não tem um QI mais evoluído que o nosso, Ele é outra coisa, Ele é DEus e não homem como nós. Ele é Criador e nós criaturas. Nós fomos criados por ele, logo, nosso cérebro foi projetado por ele e a Bíblia diz que Deus nos criou a sua imagem e semelhança: “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Gênesis 1:26,27

      Entre todas as criaturas criadas por Deus, somente o homem foi feito a sua imagem e semelhança e o que isso significa? Que Deus colocou em nós algumas de suas carterísticas, como dominar sobre a terra, sobre os animais, ter a capacidade de criar, de amar, de se relacionar, de raciocinar, de trabalhar, de pensar. Numa forma física, o homem foi criado para expressar funções divinas na terra, Deus tinha isso em seu coração quando criou o homem, expressar na terra seu poder.

      Existe um abismo entre ser Criador e ser criado. Fomos feitos por Deus, tudo que somos, temos e vivemos, veio dEle.
      “Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam.” Salmos 24:1
      Ou seja, a soberba, o orgulho, a auto-exaltação é uma estupidez, porque tudo que somos, é CRÉDITO DE DEUS, não fomos nós que nos criamos anós mesmos. Caso alguém, se orgulhe demais do dom que recebeu, seja cantar, pintar, criar, ser belo.. é estúpido pois ninguém se criou a si mesmo e o mérito é do Criador.

      Primeira premissa: Deus é Criador, nós somos suas criaturas.

      Segunda premissa: Ele nos gerou, nos deu vida, soprou em nós seu fôlego de vida. Ele é o autor da vida e só Ele pode retirar seu fôlego de vida de nós. Nós não podemos matar nosso próximo, nosso igual, não somos donos da vida, mas Deus é dono de todos que habitam na terra que Ele criou. Ele dá a vida e ele tira. Está escrito: “O Senhor é o que tira a vida e a dá; faz descer ao Seol e faz subir dali. ” 1 Samuel 2:6 e “E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente.” Gn 2:7
      e ainda “Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer deles existir.” Salmos 139:16

      Bem, não sei se falei o que vc queria saber ou entender, por favor, me dê um retorno e podemos continuar essa conversa. caso vc queira.
      Deus não criou de forma aleatória e sem nenhum objetivo, ele tem um propósito para cada um de nós e fora do seu propósito para nós, vevemos perdidos em nossos próprios caminhos tortos, tentando viver de acordo com nossa própria cabeça e deu no que deu, o mundo está ai como prova de quanto somos incapazes de conduzir e administrar nossas vidas. se aproximar de Deus, conhec~e-lo e se conhecer a vontade dele para nós não é uma religião, é vida. É ser conduzido por quem nos fez, nos criou, sabe como devemos andar, sabe o que é melhor prara nós.

      Estou a sua disposição para falarmos mais sobre suas meditações. Shalom!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s