Divididos pela doutrina esquerdista

 

dividir-para-conquistar

Divididos pela doutrina esquerdista – “Dividir para conquistar”

Tem um versículo na Bíblia no qual Jesus explica que se um reino estiver dividido contra si mesmo, não poderá sobreviver (permanecer), pelo contrário, será arruinado e destruído e me veio à mente o que está acontecendo hoje no mundo por influência da doutrina esquerdista e do marxismo ideológico, preste atenção no que Jesus disse:

“Se um reino estiver dividido contra si mesmo, não poderá subsistir.
Se uma casa se dividir contra si mesma, igualmente não conseguirá manter-se firme”.
Marcos 3: 24 e no Livro de Lucas, Jesus fala assim: “Todo reino dividido contra si mesmo será arruinado, e uma casa dividida contra si mesma cairá.” Lucas 11:17

Jesus falou nesses versículos sobre um princípio que é fundamental para um reino, um país, um povo sobreviver e permanecer: não estar dividido contra si mesmo!

O “Marxismo cultural” usa exatamente esse princípio para alcançar seu objetivo e qual é esse objetivo? Dividir para conquistar – dividir jogando as pessoas umas contra as outras, vamos ver como fazem. A Teoria Crítica é a chave ideológica que explica a maioria das posições esquerdistas. As críticas divisionistas da Esquerda relativas à Cultura Ocidental têm por objetivo destruí-la nos seus fundamentos para implantar sua cultura socialista, essa estratégia é chamada de guerra ideológica sem armas.

Abaixo, constam alguns exemplos da estratégia “dividir-e-conquistar” dos neo-marxistas e de como os cidadãos ocidentais são colocados uns contra os outros enquanto a Esquerda toma o poder, atropela Constituições e implementa a sua estratégia de “transformação fundamental” no campo das idéias:

1. Pretos vs Brancos
Os pretos são incentivados a culpar os brancos pelas suas provações e angústias. Apesar da escravidão ter sido formalmente abolida como instituição há cerca de 150 anos, a Esquerda continua a defender a ideia de que as nações ocidentais são fundamentalmente racistas. O mesmo se aplica à imigração em massa como um todo, os brancos são acusados de “racismo” de berço e os imigrantes e multiculturalistas encorajados e apoiados por Esquerdistas, enquanto minam e diluem a cultura branca ocidental e, a longo prazo, a destroem irremediavelmente.

2. Homens vs Mulheres
O Feminismo radical surgiu nos anos 70 do século passado como resultado da “revolução” sexual. A maneira feminista de interpretar a História pelo prisma da “mulher calada” é levada ao extremo. A extrema-esquerda, dominante em imensas universidades, sobretudo departamentos de “Estudos Femininos” e “Estudos de Gênero”, propagou as teorias radicais de que o “gênero” é uma narrativa e que não existem diferenças reais entre dois sexos, com excepção dos órgãos genitais. Isto continua sendo defendido apesar de biólogos, neurofisiologistas e a corrente dominante dos especialistas em pedagogia e desenvolvimento infantil contradizerem esta mentira.
O efeito do feminismo radical é um antagonismo desnecessário entre homens e mulheres. A já desmascarada e suposta “guerra contra as mulheres” é um exemplo gritante desta táctica. A noção das mulheres “oprimidas” pelo homem e o conceito da unidade familiar enquanto “opressão” são decalcados do Manifesto Comunista.

3. Filhos vs Pais
A rebelião contra a autoridade paterna é glamourizada culturalmente através de filmes e música. Além disso, a juventude é “sexualizada” em idades cada vez mais precoces ( de acordo com teóricos radicais como Gyorgy Lukacs, isto ataca o núcleo do Cristianismo e leva a juventude à revolta contra os pais ). As crianças são encorajadas a desobedecer e desrespeitar aos pais como uma atitude a ser aceita como normal.

4. A Família vs Estado
As crianças são cada vez mais educadas em creches e menos com as mães, as escolas tendem a ensinar valores marxistas elementares sem escrúpulos, tirando dos pais a função de educar e criar seus filhos e se esforçando para diminuir a autonomia e autoridade dos pais sobre seus filhos.
O sistema educacional até a universidade doutrina os jovens e adolescentes o que origina jovens adultos com personalidades fracas e influenciáveis, facilmente manipuláveis por discursos de “esperança” (do mítico mundo melhor ) e de “mudança” (revolução), que tendem à revolta contra a ordem social e a olhar para o Estado como um pai adotivo e referencial.
O Sistema de Ensino é o ponto chave da estratégia marxista reinventada que tem o nome de Marxismo Cultural – que é a Revolução por meio da cultura, investindo na desconstrução dos valores ocidentais para implantar sua ideologia de destruição da sociedade. Tendo sucesso em afastar os filhos dos pais, o Estado tem mais facilidade em doutrinar os jovens e crianças em seus valores deturpados e mantê-los em controle como massa de manobra. Relações fracas na família potencializam jovens rebeldes e com mentes fracas prontas para doutrinação.

5. Heterossexuais vs Homossexuais
A Esquerda politizou a sexualidade ao ponto de estabelecer regras e regulamentos especiais em benefício dos homossexuais ( tais como leis de habitação, recrutamento militar, detenção..), tratando os homossuais de forma diferenciada como uma “classe” superior. Aqueles que questionam a normalização do comportamento homossexual na sociedade são rotulados como “homofóbicos”, dentro do pensamentos esquerdista não se é permitido discordar nem ser contra. O “casamento” gay torna-se uma questão política, apesar de Casamento ser tradicionalmente uma questão religiosa.
A agenda homossexualista é alimentada e executada pela escola marxista cultural como um ataque ao núcleo da civilização que é a família, de forma a afastar gradualmente as crianças do pensamento e da família tradicional, mais uma ferramenta para destruir a família e atingir em cheio a mente das crianças. Cada divisão da sociedade em “grupos” enfraquece mais e mais a sociedade que passa a se sabotar a si mesma, tendo ódio de si mesma e não tem discernimento para atacar seus verdadeiros inimigos e que os corruptos no poder, a velha máxima: “Dividir para conquistar”.

6. Intelectuais vs. Classe Operária
Uma maneira dos ditos intelectuais progressistas marginalizarem e hostilizarem conservadores e cidadãos comuns é definir inteligência como concordância com a agenda marxista, quem se opuser é tachado de ignorante ou intolerante.
O Marxismo defende que a “consciência revolucionária” vem do reconhecimento da História como regida pela “luta de classes” entre pobres e ricos. O ponto elementar no materialismo dialéctico pressupõe que o pensamento do Homem reflete o seu ambiente material (econômico). O proletariado, ou os oprimidos, são o futuro da consciência mundial; isto acontecerá assim, supostamente, por causa das contradições internas do capitalismo, condenando o sistema ao colapso para implantarem o comunismo. É uma tática maquiavélica mas que tem dado certo pois as pessoas sem perceber e com boas intenções entram na “brigas” pelos “oprimidos” e “menos privilegiados”. Qualquer um que não aceite esta narrativa como verdade, em particular operários ou indivíduos de classe média, ou aqueles que a critiquem com veemência, demonstram “alienação de consciência”. Essa é a guerra entre os “oprimidos” e “opressores”.

7. Cidadãos Nativos vs Imigrantes/Multiculturalismo
A Esquerda encara o Multiculturalismo em primeiro lugar e acima de tudo como um aliado no desmoronamento daquilo que entendem como dominação e opressão branca. Os chavões incluem “diversidade”, “enriquecimento” e “necessidade” culturais, usadas para para ocultar a verdadeira razão pela qual apoiam o multiculturalismo.
O Multiculturalismo é uma das “táticas” do Marxismo Cultural para destruir a cultura original de um povo e fazer com que percam suas referências e raízes e quem se opuser é imediatamente rotulado como “racista”.

Os cidadãos nativos de qualquer nação branca não têm o direito de desejar viver numa cultura e etnia homogênea. Mas por outro lado, os imigrantes e as suas culturas são apoiadas e elevadas acima da cultura do povo anfitrião. Pelas leis impostas pelo estado, qualquer pensamento ou visão oposta ao Multiculturalismo pode resultar em acusações criminais e prisão, perda de emprego e expulsão da vida pública.

8. Nacionalistas vs Anti-Nacionalistas
Defensores da Pátria e do Patriotismo são, pejorativamente, classificados como “reacionários”. Contudo, patriotismo define-se como “amor à pátria” e implica respeito pelas suas instituições, tradições e ideais que estão na base da fundação de cada país.

Os Nacionalistas são vistos pela Esquerda como perigosos obstáculos ao projeto globalista: os lugares-comuns esquerdistas para atacar o Nacionalismo são geralmente “xenofobia” ou “intolerância”. Mas também “nazismo” e “fascismo”. Esta maneira de culpar por associação traduz a ideia de que amar e celebrar a própria Pátria é um mal semelhante a esses, que deve ser combatido por todos os meios.

O combate ao Patriotismo e Nacionalismo existe porque estes entram em conflito com a agenda internacional globalista da Esquerda e suas mentiras. O Nacionalismo é o sistema imunitário das nações, a Esquerda é a sua doença. Ridicularizar os nacionalistas e patriotas, relacionando-os com Hitler, é uma ilustração expressiva da mentalidade deformada da Esquerda.

Os “movimentos pacifistas” usam qualquer meio para suprimir aquilo que consideram o “vírus” nacionalista. As nações ocidentais são acusadas de colonialismo e imperialismo, qualquer patriota será ridicularizado com chavões, levando o cidadão comum a associar nacionalismo a maldade e a afastar-se dele. O sistema de ensino e o revisionismo histórico servem de controlo mental das massas. Os marxistas culturais atacam uma ideia falsa, (um espantalho) para promoverem a sua ideologia mentirosa, de uma forma geral, minam e desconstroem valores e pensamentos para através da dúvida, divisão e confusão mental implantar sua ideologia mentirosa e maquiavélica. Como tudo é feito no campo do pensamento e das ideias é muito difícil perceber sua malícia e astúcia pois todas as táticas são usadas aparentemente como defesa dos “oprimidos” contra os supostos “opressores”.

Conclusões
O marxismo cultural é uma arma invisível mas de alta periculosidade, entra sorrateiramente na mente dos jovens com aparência de revolução e destroem a base da família e da sociedade com o objetivo de “Dividir para conquistar”.
Em termos práticos, o que é imediatamente necessário para responder à Teoria Crítica é uma defesa intransigente da Nação, Família, Constituições, Religião; tal como a denúncia e exposição daqueles que corrompem tribunais, escolas, universidades, imprensa, indústria de entretenimento e governos.

Nunca haverá um país livre de conflitos, mas é possível identificar quem incendeia as paixões e manipula as pessoas para obter fins ingênuos e perigosos. Isto só é possível ser feito conhecendo verdadeiramente a natureza do inimigo e os seus planos. Na guerra cultural, como em qualquer outra, isto é fundamental para formular qualquer estratégia.

“O preço da liberdade é a vigilância eterna” Thomas Jefferson

Dizem alguns que o Marxismo Cultural não existe, dizem que Karl Marx não escreveu sobre Cultura, exigem definições de Marxismo Cultural. Existem várias definições, de vários autores. Só porque existem pessoas que não acreditam que não existe, não significa que não vigore em todas as sociedades ocidentais. É o Marxismo reinventado para atacar a Cultura, o Marxismo daqueles que perceberam o motivo pelo qual as ideias de Karl Marx falharam e as reformularam em termos culturais para atingirem o mesmo fim. O Marxismo Cultural tem muitos aspectos envolvidos, é um conjunto de falsos conceitos lançados através de qualquer meio de influência social, e tem por objetivo o desmantelamento da fundação da sociedade como forma de a transformar.

Quando verificamos que os fundadores do Marxismo Cultural da “Escola de Frankfurt” quiseram chamá-la de “Instituto Marxista”, mas optaram antes pelo título de “Instituto de Pesquisa Social” como forma de mascarar a sua verdadeira ideologia e intenções, então não devemos ficar surpreendidos quando os idiotas úteis da Esquerda de hoje negam a sua existência. Alguns não têm ideia de que são manipulados e lutam a favor do Marxismo Cultural. Estes são vítimas que estão cegas em sua ingenuidade de se sentirem como “defensores dos oprimidos”.

Outros sabem perfeitamente que existe uma escola de pensamento anti-Cultura, anti-Brancos e anti- Civilização Ocidental implementada nas instituições e usam da desonestidade intelectual para atacarem os valores do Ocidente. Eles apoiam-na e impõem-na em qualquer oportunidade mas depois negam que ela exista. Eles conhecem as suas origens, o que não gostam é que outros se atrevam a chamarem els daquilo que realmente são.

O Marxismo Cultural é Desconstrução através da Crítica. Desconstrói e critica a História de uma Nação, distorcendo-a com mentiras. Desconstrói e critica a Família mentindo sobre o papel da paternidade. Desconstrói e critica a identidade cultural e étnica ocidental. Desconstrói e critica tudo o que se oponha aos seus objetivos. Resumindo, é um veneno destruidor que deve ser sempre desmascarado.

A tática da esquerda consiste em estreitar relações com a população, colocando-se como sua defensora contra grupos que ela acusa de serem seus opressores. A mesma tática pode ser facilmente revertida, visto ser a esquerda composta por grupos que oprimem a população com o incentivo ao crime, à promiscuidade e depravação sexual das crianças, o ódio à religião, a rivalidade entre negros e não negros, o ódio ao homem, o ódio à heterossexualidade, o incentivo às drogas, o incentivo à desobediência em todos os setores, o antagonismo entre pais e filhos, a desestruturação da família, o incentivo ao aborto etc..

Esse veneno chamado Marxismo Cultural que é a Desconstrução através da Crítica e da acusação é altamente eficiente e tem criado uma geração que podemos chamar de: “HUMANOS QUE ODEIAM A PRÓPRIA ESPÉCIE E QUEREM DESTRUÍ-LA”, incentivam o ódio e a rejeição de todos que discordam deles em qualquer assunto como se a única opção correta fosse pensar como eles, quem se opor é inimigo e deve ser destruído e eliminado.
Existe esse tipo de mente humana que odeia a própria espécie e prega o seu fim, é importante saber deste fato pois estes indivíduos estão presentes no mundo atual em todas as instituições internacionais no incansável trabalho para destruir a “perversa” sociedade humana civilizada que tanto odeiam.

As mentes manipuladas por essa Teoria Crítica ficam cauterizadas, é uma arma letal e altamente venenosa, é o mais alto grau da cegueira pois eles não querem ver, o mais alto grau da doença pois não se sentem doentes e não querem remédio. Mas acima de todo esse sistema maquiavélico de desconstrução dos valores cristãos e ocidentais tem Deus que é maior que qualquer veneno ou cegueira e essa é minha esperança, falar a verdade e alcançar pessoas que pelo bom senso e análise crítica baseadas em valores absolutos se livrem dessa doença contagiosa espalhada pela mídia controladora e esquerdista.

Qualquer sistema de pensamento que não se baseia na Palavra de Deus é falho (Prov. 28:26). A filosofia do homem eventualmente levará à deificação do homem. Se não é de Deus não levará a Deus e consequentemente será destruidora para a humanidade.

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32

Anúncios

5 comentários sobre “Divididos pela doutrina esquerdista

  1. Sempre acho bom pontos de vista diferente e assuntos que geram em mim um ponto de ?
    Admiro sua forma de pensar e questionar certas questões!
    Algumas eu não compreendo e outras eu não penso da mesma forma, mas sempre são assuntos muito pouco trabalhado em nossos dias e pouco explorado.
    As questões são sempre o ponto de partida…. Gosto disso!

    Curtir

    • Ademir, obrigada pela indicação do livro, vou procurar sim. Já li algumas coisas sobre esse lado de Marx e o que mais me chocou foi saber que os pais dele eram cristãos e que até a adolescência ele foi criado na fé cristã, em algum momento da juventude ele se revoltou contra Deus e desenvolveu um ressentimento tão sombrio que gerou um filho do mal que foi sua ideologia marxista comunista toda embasada em seu ódio a Deus, a história da geração do marxismo é cheia de mágoa, ressentimento contra Deus, ódio, rancor e rebeldia, algo maquiavélico e altamente destrutivo.

      Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s