O talento de Aleijadinho e a idolatria

Conheci Minas Gerais esse fim de semana, e fui à Ouro Preto, cidade histórica e rica em obras de arte e cultura, a beleza da arquitetura de construções históricas erguidas no século 18 impressiona e por toda parte é perceptível uma cultura religiosa fortíssima, na verdade, tudo gira em torno disso.
Os museus, as obras de arte, os famosos templos e construções, tudo remete à religiosidade, na verdade, a história de Ouro Preto é recheada de religiosidade e o turismo de lá gira hoje praticamente em torno disso, não há como ignorar a força e a influência da religião naquele lugar.
Me vi ali em pé admirando o teto, as obras, as esculturas belíssimas feitas pelo grande mestre da Arte Barroca Brasileira, Aleijadinho, eu já tinha visto muitas fotos das pinturas, mas vê ao vivo a grandeza, o tamanho, os detalhes, as cores, a altura do teto e das esculturas e a beleza de tudo é algo impressionante.
Mais o que me impressionou mesmo (e me levou a escrever este texto), foi lembrar que esse gênio escultor e um dos maiores artistas plásticos da história do Brasil tinha uma doença degenerativa nas articulações que o fez perder gradativamente os movimentos dos pés e mãos, fiquei imaginando ele com as mãos atrofiadas com sérias limitações de movimento trabalhando naquele lugar…meu Deus, que talento absurdo.
E tudo isso me levou a pensar outra coisa, Deus deu a Aleijadinho um talento, uma aptidão especial e rara, e Aleijadinho usou esse talento para esculpir e pintar figuras, imagens e esculturas de madeira e de pedra sabão que são adoradas e reverenciadas como deuses, fiquei ali diante de tamanha arte que expressava uma cultura que o próprio Deus desaprova tão claramente nas Escrituras e aquilo me entristeceu e comentei com André Junior: olha filho, Aleijadinho foi um homem de talento inigualável, sua arte é conhecida no mundo inteiro, mais ele não usou o talento dele para engrandecer ao Deus que deu o talento pra ele.
Aleijadinho empenhou todo seu talento, toda sua vida, todo seu esforço, suor, persistência e determinação para perpetuar a cultura religiosa da idolatria por séculos e isso me chocou porque assim como um cantor recebe de Deus sua bela e valiosa voz e passa a vida a cantar idéias e declarações que ofendem ao Deus que lhe deu sua bela voz, assim também Aleijadinho direcionou todo seu talento para o que Deus diversas vezes repete na Bíblia que o homem nunca faça: se ajoelhe diante de imagens criadas por mãos de homens e foi exatamente isso que ele fez e pior que isso, ele cooperou para influenciar milhares de fiéis sinceros e devotos que colocam sua fé em deuses que não os pode salvar e dividem assim sua fé que deveria ser somente no Deus Criador e Absoluto do Universo e não em coisas criadas.
Eu e meu filho saímos de lá com essa meditação em nosso coração e lembramos desse versículo no livro de Isaías onde o próprio Deus condena claramente a idolatria que Aleijadinho tanto propagou com sua arte e talento:
“Assim diz o Senhor, o rei de Israel, o seu redentor, o Senhor dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último; além de mim não há Deus. Todos os que fazem imagens nada são, e as coisas que estimam são sem valor. As suas testemunhas nada veem e nada sabem, para que sejam envergonhados. Quem é que modela um deus e funde uma imagem, que de nada lhe serve? Todos os seus companheiros serão envergonhados; pois os artesãos não passam de homens. Que todos eles se ajuntem e declarem sua posição; eles serão lançados ao pavor e à vergonha. O ferreiro apanha uma ferramenta e trabalha com ela nas brasas; modela um ídolo com martelos, forja-o com a força do braço. Ele sente fome e perde a força; passa sede e desfalece. O carpinteiro mede a madeira com uma linha e faz um esboço com um traçador; ele o modela toscamente com formões e o marca com compassos. Ele o faz na forma de homem, de um homem em toda a sua beleza, para que habite num santuário.Do restante ele faz um deus, seu ídolo; inclina-se diante dele e o adora. Ora a ele e diz: “Salva-me; tu és o meu deus”. Eles nada sabem, nada entendem; seus olhos estão tapados, não conseguem ver, e suas mentes estão fechadas, não conseguem entender. (‭Isaías‬ ‭44‬:‭6, 9-13, 17-18‬)
“Eu sou o Senhor, e não há nenhum outro; além de mim não há Deus. Ai daquele que contende com seu Criador, daquele que não passa de um caco entre os cacos no chão. Acaso o barro pode dizer ao oleiro: ‘O que você está fazendo? Fui eu que fiz a terra e nela criei a humanidade. Minhas próprias mãos estenderam os céus; eu dispus o seu exército de estrelas. Todos os que fazem ídolos serão envergonhados e constrangidos; juntos cairão em constrangimento. São ignorantes aqueles que levam de um lado para outro imagens de madeira, que oram a deuses que não podem salvar. Voltem-se para mim e sejam salvos, todos vocês, confins da terra; pois eu sou Deus, e não há nenhum outro.
(Isaías 45:5, 9, 12, 16, 20, 22)

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s