A vida de um solteiro cristão

a-vida-de-um-solteiro-cristc3a3o

“Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra. De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra. Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor.” II Timóteo 2: 20-22 Muitos perguntam sobre como deve ser a vida de um jovem solteiro cristão. Não podemos cair no erro de imaginar um padrão de vida por faixa etária. O chamado do Senhor é único, implicando uma vida substituída: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim…” (Gal. 2:20).

A vida de qualquer discípulo de Jesus é guida pelo Espírito Santo (Rom. 8: 14). A Palavra nos ensina a sermos imitadores de Deus (Efésios 5:1). Quando Jesus disse “quem me vê a mim vê o Pai” (João 14:9) Ele manifestou ali como é o caráter do Pai, a quem devemos imitar. Um jovem solteiro deve ter em mente algumas coisas básicas.

Listamos abaixo seis pontos bíblicos importantes.

1. Ter uma experiência verdadeira com Deus Alguém, inclusive um jovem solteiro, que experimentou verdadeiramente a Cristo, tem profundas marcas em sua vida. Eis algumas:

a. Está crucificado para os desejos da carne.

“E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências” (Gal. 5:24). Não vive dominado pelos desejos da carne. Experimenta vitória sobre o pecado. É o negar-se a si mesmo. É uma decisão resultado do seu compromisso com Cristo: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me” (Mc 8:34).

b. Está morto para o mundo e o mundo morto para ele. Vive em busca das coisas celestiais.

“Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo” (Gal. 6:14). A obra do Espírito Santo “nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus” (Ef. 2:6) e lá buscamos as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus e não as que são da terra (Col. 3: 1-2). O sistema mundano é inimigo de Cristo. Quem anda com Cristo não pode ser atraído por nada deste mundo. É uma questão de novo nascimento. A palavra sentencia: “Não ameis o mundo e nem o que há no mundo. Quem ama o mundo, o amor do Pai não está nele” (I João 2:15).

c. Seu velho homem foi crucificado com Cristo e surge um novo homem alicerçado em Cristo.

“Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado” (Rom. 6:6). Esta experiência diária de morte na cruz é que nos faz vencer o pecado. Esta experiência resulta em “que se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (II Cor. 5:14), “porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis” (Rom. 8:13). d. Está morto para a lei e para o pecado, mas está vivo para Deus: “Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais de outro, daquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus” (Rom. 7:4). Não seguimos um conjunto de normas, mas a Cristo. É Dele que recebemos o poder para vencer o pecado: “Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor” (Rom. 6:11). Não busquemos conhecimentos, que para nada serve, mas conhecer a Jesus. Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida (João 14:6).

2. Ter uma vida profunda de oração e relacionamento com a Palavra.

Jovens solteiros superficiais na Palavra e na oração são presas fáceis do pecado. Satanás não precisa de muito esforço para derrotá-los. Aliás, eles não preocupam o inimigo de Deus, pois não incomodam seu reino de trevas. A maioria gasta seu tempo em conversas frívolas nas chamadas redes sociais e em todo tipo nefasto de atividades que consomem seu tempo sem lhe acrescentar nada de útil. Uma geração que não consegue fechar a porta de seu quarto para gastar tempo em comunhão com Deus e sua Palavra, mas deleita-se em tolas conversas, relacionamentos virtuais vazios e entretenimentos para divertir a alma. Viciados em Whatsapp, Twitter, Facebook e outros tipos de vícios devoradores de tempo, transmitem a idéia de que se recusam a crescer. O tempo, que não espera por ninguém, atua contra eles. Completamente superficiais e sem as marcas inerentes de quem se aproxima do coração de Deus.

Os pais, em boa parte, cegos, não conseguem enxergar os riscos que envolvem seus filhos. E o pior: muitos estão viciados também ou estão ocupados com tudo e com todos, menos em investir tempo e esforço na formação espiritual de seus filhos. Muitos também estão igualmente perdidos. Para tentar compensar a falta de relacionamento com Deus, esses jovens tornam-se freqüentadores de reuniões, alucinados por retiros e viagens, buscadores de novidades e excelentes presas do lixo gospel. Correm de um lado para outro, gostam de eventos e de uma lista imensa de amigos virtuais. Adoram animadores de platéia, que vivem oferecendo o que eles buscam. Não passam de crianças que se recusam a crescer e amadurecer. O tempo passa e eles ficam não somente inúteis, mas prejudiciais ao Reino de Deus. A maioria desses jovens demonstra que faz parte da “geração teen”, uma filosofia do inferno que ensina “curtição” para os jovens, que eles devem aproveitar tudo que pode para divertir-se. Quando na verdade eles estão construindo, ou deveriam construir, os fundamentos de suas vidas. O que esperar de adolescentes “cristãos” que incorporaram esta filosofia infernal?

Mas aquele jovem, devidamente convertido, e que ama ao Senhor acima de sua vida, vai se equipar com as armaduras do alto, “orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos” (Ef. 6:18). “Orai sem cessar” é o que nos ensina a Palavra de Deus (I Tess. 5:17). Alguém que pratica isto não será atraído a gastar seu precioso tempo com coisas banais. A presença gloriosa do Mestre conduz seu discípulo a uma vida completamente diferente de tudo que é humano. É tempo de “ver prudentemente como andamos, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo; porquanto os dias são maus” (Ef. 5:16). Remir o tempo é selecionar criteriosamente tudo aquilo que o ocupa, favorecendo um tempo generoso na Palavra e na oração. Como disse Paulo ao jovem Timóteo, que foi muito útil a seu ministério desde tenra idade: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (II Tim. 2:15).

Um jovem solteiro cheio do Espírito Santo, atenta para o princípio bíblico que diz:  “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.” (Fp. 4:8) Certamente Ele terá prazer na “lei do senhor e na sua lei medita de dia e de noite (Salmo 1:2). Rejeitará completamente a maligna indústria do cinema; a música do mundo (inclusive o lixo gospel e seus “artistas” mercadores da fé); a televisão e seus esgotos ao vivo; paixão por futebol e outros eventos que despertam mobilizações evidentemente carnais; enfim, tudo aquilo que não se enquadra no texto acima. Isto não é um questão de regra, muito longe disto: “Portanto, Se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus”(Col. 3: 1-3).

3. Ocupar-se profundamente no Reino de Deus. Seus relacionamentos são construídos a partir deste alvo.

Triste ver a raridade de jovens aptos na obra. Há muitos ativistas, poucos relacionados com Deus. Normalmente a obra é conduzida por homens casados, pois há poucos jovens de oração e profundos na Palavra. Deus não precisa da vitalidade humana de um jovem, ele precisa da vitalidade espiritual de quem o serve. Um aguerrido que luta por conta própria produz muitos estragos. Gastar tempo na obra deve ser precedido em gastar tempo na solitude com Deus. Jesus disse que Ele, por si mesmo, nada podia fazer, se não o vir fazer o Pai. (João 5:19). Se esta era a condição de Jesus, a nossa é, na melhor das situações, a mesma. Jovens cheios da Palavra, que se relacionam profundamente com Deus, que buscam relacionamentos com irmãos piedosos para serem estimulados a perseverar em Cristo e que são livres dos brinquedos que Satanás oferece a esta geração, são tremendamente úteis e necessários ao Reino de Deus. Tremendo é observar a história dos adolescentes Daniel, Hananias, Misael e Azarias no Livro de Daniel. Raptados de seus pais e levados a força para Babilônia, para usufruírem das dádivas do rei e servi-lo, viveram com peregrinos em terra estranha. Não se curvaram diante da iniqüidade dos babilônicos e não aderiram a seus costumes e pecados. Mantiveram-se em comunhão intensa com Deus e, pelo poder de Deus, puderam manifestar diante de todos que só o Senhor é Deus. Certamente que eles não procuraram relacionamentos vazios e conversas frívolas. Pessoas assim não são divertidas e nem populares, pois vivem na terra sob governo de um reino que não é deste mundo. São pessoas, a bem da verdade, um tanto esquisitas, tal como Jesus foi diante dos olhos dos romanos e dos religiosos de seu tempo. E Seria diferente hoje diante do mundo e das multidões que se proclamam seus discípulos?

4. Submissão e honra aos seus pais. É muito simples entender esta ordem bíblica: “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra” (Ef. 6: 1-2). “Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor” (Col. 3:20).

A Bíblia quer dizer o que ela diz. Filhos que não se submetem ou não honram aos seus pais, estão sob condenação. Não conhecem a Deus. É uma das características malignas que permeia o caráter do homem nesses tempos do fim: “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos” (II Tim. 3: 1-2).

5. Uma vida de pureza. Manifestação de um caráter santificado e íntegro. “Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra”. (Salmo 119:9) “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza”. (I Tim. 4:12) As manifestações de um caráter santificado:

• Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. (Gal 5:22)

• Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados. Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós. (Tito 2: 6-8)

• Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz, porque o fruto do Espírito está em toda a bondade, e justiça e verdade; Aprovando o que é agradável ao Senhor.(Efésios 5: 8-10)

• Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia. Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz. (Tiago 2: 17-18) • Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo; Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus. (Filip. 1: 10-11)

• Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus. (Mateus 5: 8)

• Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; E vos renoveis no espírito da vossa mente; E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade. (Efésios 4: 22-24)

• Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. (I Pedro 1: 15-16)

• Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou. (I João 2:6) É desnecessário qualquer comentário diante dos textos acima. A vida de um discípulo de Jesus, inclusive de um jovem solteiro, deve estar permeada com esses frutos vindo da semente divina que foi plantada no coração de quem segue ao Senhor. Alguém cheio do Espírito Santos torna-se exemplo em responsabilidade, seriedade e firmeza. A cada passo dá claras demonstrações de que tem um propósito definido em sua vida. É disciplinado e coerente em suas atitudes e atos.

6. Casamento, noivado e relacionamento com o sexo oposto.

Deus criou o homem e a mulher. O cristão não se enquadra em classificação sexual nenhuma que o homem rebelde fez. Ele simplesmente é um homem ou uma mulher. Simples. “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou”. (Gen. 1:27). E estabeleceu o princípio básico e irrevogável do casamento: “Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne” (Gen. 2:24). Não há espaço para qualquer outra conclusão. O homem se rebelou quanto a este princípio e Deus levará tudo isto a juízo. Também não há respaldo para um relacionamento misto. Os solteiros devem se relacionar como solteiros. Os casados como casados. Não há, biblicamente falando, a figura do namoro entre solteiros. Um homem e uma mulher se abraçando e beijando é parte de uma cena que tem como objetivo a consumação do ato sexual. Não é possível ser diferente. Não há recurso algum que sustente uma verdadeira santidade se isto acontece entre um homem e uma mulher que não são casados. Troca de carícias entre solteiros avançará para toda espécie de impurezas, mesmo que o ato sexual completo não seja consumado.

Como visto acima, a Palavra nos exorta a uma vida de verdadeira santidade. E temos este compromisso com nosso Deus. Não podemos ser tragados pelas idéias dos homens perdidos, pela industria do entretenimento, pelas palavras dos falsos profetas e pela irresponsabilidade desta geração. Namoro virou algo banal e sem compromisso. Uma afronta a Deus. A palavra exorta aos jovens homens que tratem “às moças, como a irmãs, em toda a pureza” (I Tim. 5:2). Bem como ensina que “se alguém julga que trata dignamente a sua virgem, se tiver passado a flor da idade, e se for necessário, que faça o tal o que quiser; não peca; casem-se” (I Cor. 7:36). Na Bíblia, todo ensino sobre namoro está restrito aos casados. É um assunto que pertence ao casamento. A Palavra diz que só os limpos de coração verão a Deus. E o que é ser limpo? É estar livre de qualquer impureza no seu interior. Deus julgará tudo que está escondido em nós (Rom. 2:16). Os que praticam a impureza e a lascívia (prática do sensualismo) não herdarão o Reino de Deus (Gal.5: 19-21).

Em conclusão, biblicamente, um jovem solteiro deve ter algumas atitudes básicas em sua vida:

a. Ser um verdadeiro convertido e amar a Deus acima de tudo e de todos. Ter uma vida profunda na Palavra e na oração. Ter um viver santo. Crescer na graça e no conhecimento do Senhor Jesus. Ser um vaso de honra para uso do Senhor em seu Reino. Ter um testemunho fiel.

b. Fazer bom uso de seu tempo, gastando-se em assuntos que serão importantes em sua vida futura. Não desperdiçar seu tempo com frivolidades e coisas irrelevantes. A formação profissional é algo importantíssimo, tendo apenas cuidado com ambições pecaminosas.

c. Buscar relacionamentos que possam contribuir para sua maturidade.

d. Estar sob direção do Senhor em assuntos que dizem respeito a um possível casamento. Não viver em função disto. Pelo contrário, buscar o Reino de Deus em primeiro lugar. Se o Senhor direcionou um cônjuge, isto deverá ser encaminhado na mais absoluta dependência de Deus e sob cobertura de pessoas cheias do Espírito Santo. Ao se confirmar um compromisso de noivado, deverão guarda-se de contatos físicos até o casamento

Fonte: A vida de um solteiro cristão

https://palavrasdecristo.files.wordpress.com/2011/08/a-vida-de-um-solteiro-cristc3a3o.pdf

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s