O evangelho que Jesus pregava X o evangelho atual

No texto anterior, vimos que uma Semente boa produz Fruto bom e que uma Semente ruim produz Fruto ruim.
Agora vamos estudar nas Escrituras qual a semente que Jesus semeou e que gerou a vida que os cristãos da Igreja Primitiva tinham.

Pelas escrituras, podemos observar bem a semente que Jesus semeava: 

“Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.” (Mt 4.17) 

“Percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo.” (Mt 4.23) 

“E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades.” (Mt 9.35) 

“E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.” (Mt 24.14) 

Jesus pregava um evangelho qualificado: o Evangelho do Reino. 

“Ele, porém, lhes disse: É necessário que eu anuncie o evangelho do reino de Deus também às outras cidades, pois para isso é que fui enviado.”
(Lc 4.43) 

“Aconteceu, depois disto, que andava Jesus de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do reino de Deus, e os doze iam com ele,” (Lc 8:1)

“A Lei e os Profetas vigoraram até João; desde esse tempo, vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça por entrar nele.” (Lc 16.16) 

Os textos acima usam as expressões “Evangelho do reino” ou “Reino de Deus” => Jesus pregava e anunciava um tipo especial de evangelho: o Evangelho do Reino. 

O evangelho pregado é especificado. É um evangelho qualificado. Uma semente qualificada. 
O evangelho que os apóstolos pregavam: a mesma semente que Jesus semeou.

E os apóstolos e demais discípulos, que evangelho pregavam? 

“Quando, porém, deram crédito a Filipe, que os evangelizava a respeito do reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, iam sendo batizados, assim homens como mulheres.” (At 8.12) 

“Durante três meses, Paulo freqüentou a sinagoga, onde falava ousadamente, dissertando e persuadindo com respeito ao reino de Deus.” (At 19.8) 

“Agora, eu sei que todos vós, em cujo meio passei pregando o reino, não vereis mais o meu rosto.” (At 20.25) 

Falar do Reino de Deus era algo central para os apóstolos e demais discípulos, quando evangelizavam.

“Havendo-lhe eles marcado um dia, vieram em grande número ao encontro de Paulo na sua própria residência. Então, desde a manhã até à tarde, lhes fez uma exposição em testemunho do reino de Deus, procurando persuadi-los a respeito de Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos profetas.”
(At 28.23) 

“Por dois anos, permaneceu Paulo na sua própria casa, que alugara, onde recebia todos que o procuravam, pregando o reino de Deus, e, com toda a intrepidez, sem impedimento algum, ensinava as coisas referentes ao Senhor Jesus Cristo.” (At 28:30-31) 

As expressões Reino dos Céus e Reino de Deus eram constantes na pregação de Jesus e dos apóstolos (aparecem mais de 100 vezes no Novo Testamento). 
Falar do Reino de Deus, quando evangelizavam, era algo fundamental para eles. 

Mas afinal, o que significa falar do Reino de Deus para alguém?
Quais são as conseqüências de aceitar a palavra do Reino? 
O que significa “Evangelho do Reino”? 

O termo “Evangelho” significa “Boas Novas”, isto é “Boas Notícias”. 
O termo “Reino” significa “Governo”, “Reinado”, ou “ação de reinar”. 
Então, literalmente, a expressão “Evangelho do Reino” significa “Boas Notícias do Governo de Deus”. 
Ou seja, Pregar o Evangelho do Reino é anunciar as boas notícias de Cristo e do seu Governo sobre a vida do homem. É apresentar a Jesus como Rei e Senhor do homem. 

A pregação do evangelho atual não apresenta o Reino de Deus, nem seu governo nem seu senhorio sobre a vida dos que querem entrar em seu Reino, pelo contrário, o evangelho distorcido que tem sido “oferecido” nas igrejas chama o pecador para ser feliz, ser curado, abençoado, ficar rico e ir para o céu. Resumiram o evangelho do Reino de Deus a levantar a mão e ir na frente e ” aceitar” Jesus para ser salvo.
O foco desse evangelho distorcido é a salvação do homem.
O foco do Evangelho do Reino é o Rei Jesus como Senhor do homem que se arrepende de sua vida rebelde e longe do Reinado de Deus. Entendem a diferença e o perigo de gerar frutos ruins?
Esse evangelho distorcido, permite que o pecador continue Rei de sua própria vida, não se arrependa de ser independente de Deus e não se submeta ao Governo do Rei Jesus, pois não apresenta Deus como Soberano e sim, como mordomo para o homem.

O Evangelho que Jesus e os apóstolos pregavam : apresentava Jesus como Rei e Senhor do homem. 

Alguns pensam que as expressões “Reino de Deus” ou “Reino dos Céus” se referem apenas ao Céu. Ou que o Reino de Deus é no futuro. Não é verdade. 
Jesus disse: “Interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, Jesus lhes respondeu: Não vem o reino de Deus com visível aparência. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de vós.” (Lc 17.20-21) 

Um reino é um território onde um rei governa. É o lugar onde a autoridade de um rei é reconhecida. 
O Reino de Deus é onde Deus reina. O Reino de Deus está na vida de um discípulo. 
A Bíblia diz que existem dois reinos. O Reino de Deus e o Reino das Trevas (Cl 1.13). 
No Reino das Trevas estão todos aqueles que não reconhecem a autoridade de Jesus sobre suas vidas. 
No Reino de Deus estão todos aqueles que reconhecem a autoridade de Cristo e se submetem ao seu governo. Portanto, vemos que na pregação do evangelho é essencial colocarmos as bases do governo de Deus sobre a vida do homem. 

Pregar o Evangelho do Reino é falar de Cristo, sua vida e obra, e falar da necessária sujeição a ele e das condições para ser um discípulo. 

Se pregarmos salvação, sem as condições para seguir a Cristo, não formaremos verdadeiros discípulos. E é isso que tem acontecido infelizmente na igreja atualmente, a igreja está cheia de bodes, de joio e gente morta que não nasceu de novo.
Porquê? Por que não foi apresentado a essas pessoas as condições para entrarem no Reino de Deus, de se submeterem ao seu Governo, de passarem de uma atitude de viver independente de Deus para viver sob a dependência e sob o Governo do Rei Jesus.

No próximo texto, falaremos do Senhorio de Cristo e como apresentar o Reino de Deus a alguém como Jesus e os apóstolos fizeram.

Fonte: Apostila Evangelho do Reino
http://files.discipulosemgoiana.com.br/200000172-e4a4fe9c0e/AP5%20-%20Evangelho%20do%20Reino.pdf

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s