Meu encontro com Deus embaixo do chuveiro

Deus me converteu, por pura misericórdia e favor, em abril de 2012, debaixo de um chuveiro num abrigo feminino numa parque aquático na Disney.

Quase no fim dos 15 dias de férias, que teriam sido perfeitos se meu relacionamento com minha filha não estivesse sendo desfruído totalmente por brigas, gritarias, desentendimentos, inimizade, rancor, discussões agressivas, desrespeito dela por mim, hostilidade minha por ela, já éramos mais inimigas do que amigas, já existia tanta mágoa que a amargura sufocava nosso amor de mãe e filha e só restava cacos e eu desesperada, sem saber o que fazer com os cacos, quanto mais recorria aos recursos que eu conhecia, mas me desesperava porque tudo só destruía mais ainda nossa relação, quanto mais ela se tornava rebelde e me enfrentava, mas eu a tratava com hostilidade, tentei de tudo: bati, gritei, agredi com palavras, dei castigo, tirei celular, saídas, computador, tudo e nada resolvia nem a atitude dela nem a minha e o tempo precioso passava e cada vez mais nos tornávamos se não inimigas, 2 estranhas dentro de casa.

Dos 12 anos aos 16 foram os piores anos, minha filha estava crescendo, saindo da infância, entrando na adolescência e eu apenas piorava tudo para ela e para mim com minha hostilidade, falta de sabedoria e de amor e atitudes estremadas.
Cada ano que passava eu pensava: estou perdendo minha filha e mesmo em desespero eu era incapaz de interromper o ciclo vicioso que estávamos vivendo: ela me enfrentava com toda rebeldia e eu a hostilizava e era agressiva e fria com ela.

Quando mais nada nem ninguém nesse mundo podia me socorrer, comecei a pensar em Deus, se Ele podia me socorrer, será que Ele me ouviria? Eu que o ignorava?
Quando eu estava no fundo do poço, lá naquelas férias que deveriam ter sido maravilhosas, na Disney, tudo perfeito e eu e minha filha em pé de guerra, brigando, se matando, se magoando, eu fiquei muito, muito angustiada por estar num lugar perfeito e ser tão infeliz no relacionamento com minha filha, eu tinha tudo, férias na Disney, íamos a todos os parques, a todos os brinquedos, tinha dinheiro para comprar tudo que queria nos Outlets, mas não tinha paz, e estava perdendo minha filha, eu tinha tudo e não tinha nada.

Até que, quase nos últimos dias da viagem, tivemos uma briga horrível e cheguei a bater nela e ela caiu no banco, e eu pensei: estou no fundo do poço, já chegamos à agressão física, aonde vamos parar?
Me desesperei, tive uma crise de choro quando vi quão descontrolada eu e a situação entre nós estava. Quando vi minha filha caída no banco e meu filho de quase 4 anos assustado ao lado dela, pensei: cheguei no fundo do poço e vou perder meu filho também.

Em desespero, deixei os dois sentados no banco do vestiário e entrei no banho, embaixo do chuveiro, chorei, cai ajoelhada e disse: Deus, eu desisto, eu sou totalmente incapaz de conseguir mudar essa situação de destruição com minha filha, eu desisto de tentar fazer do meu jeito, me socorre, me ajuda, me salva, tem misericórdia de mim. Eu me rendo. Eu desisto e me rendo a ti, reconheço que só tu tens poder para reverter essa situação entre nós antes que não sobre nem os cacos.

Chorei embaixo do chuveiro, meu coração estava despedaçado, eu vi onde “minha incompetência” de ” gerir”, de “administrar” minha vida havia me levado. Eu reconheci como minhas decisões eram destruidoras e reconheci que eu necessitava da intervenção de Deus em minha vida. Cai em mim, assim como o filho pródigo caiu em si e me voltei para Deus, totalmente suja, sem nada nas mãos, com fome, desesperada, tinha gasto minha vida, a vida da minha filha, tinha gasto toda minha fortuna que Deus havia me dado e não tinha mais nada e voltei pra Deus e disse: se vc me aceitar, se vc ainda me quiser, me amar e puder me perdoar, me perdoa Senhor porque reconheço o quão longe andei e quero voltar para ti.

Toda enrolada nos “nós” que dei em minha vida, envolvida nas conseqüências ruins das minhas próprias escolhas insensatas e independentes de Deus e de seus conselhos. Como um abismo chama outro abismo, o pecado se tornava cada vez mais banal para mim e mais fácil de ser praticado. Mas mesmo nessa situação deplorável na qual eu me encontrava, a única força que me restou ali no chão, no findo daquele poço que cheguei foi clamar socorro a Deus e Ele nem sequer titubeou, nem sequer cogitou me dizer: tá vendo, se vc tivesse me ouvido antes… Ele é Deus e me tratou como Deus, não me tratou como o homem, Ele ama porque é o próprio amor, Ele perdoa porque é o próprio perdão.

Eu só vi a mão dEle estendida e me dizendo: estou aqui e não vou lhe rejeitar.
Ele não me rejeitou, mesmo eu tendo vivido 39 anos o rejeitando, o ignorando, o julgando como eu queria, o criticando, Ele me amou mesmo antes de eu ter ido até Ele. Ele me amou quando eu ainda O ignorava.
E então eu soube que Ele me aceitaria mesmo com meu passado, com meus erros, meus pecados, com tudo que eu já tinha feito até ali, eu soube que Ele não me rejeitaria e eu me joguei aos pés da cruz e gritei: eu não mereço o seu amor.

Ele, o próprio amor, a própria bondade, o próprio perdão, não rejeita o coração quebrantado, não rejeita o arrependido, e Ele me tomou pela mão e disse: se vc me entregar sua vida, mesmo destruída, mesmo enrolada, mesmo estragada, eu posso restaurar, transformar, sarar, curar e refazer tudo.
E eu disse: eu quero.

Esse foi meu encontro com Deus, nunca mais fui a mesma: Ele me deu um novo coração, um coração quebrantado que ouvia a voz dEle e se quebrava, eu chorei dias seguidos só em ler em algum lugar o nome Jesus, porque esse nome significava o meu perdão.

Não foi mágica, não sai do banheiro amiga da minha filha, as feridas entre nós não sararam como mágica, os cacos estão sendo restaurados a cada dia assim como as misericórdias de Deus se renovam a cada manhã. Minha vida tem sido desembaraçada por Deus a cada dia. A cada dia me arrependo mais e mais e mais do meu passado e de como eu era e até hoje, quase 2 anos depois, me lembro de pecados, de situações, de coisas que fiz e falei e choro amargamente diante desse Deus que me perdoou por coisas que nem eu mesma me lembro que fiz contra Ele.

É esse Deus que me chamou das trevas que eu estava, é esse Deus que me libertou do pecado que me escravizava, é esse Deus que me perdoou e justificou em Cristo Jesus, é esse Deus que desembaraça meus caminhos e que irá terminar a boa obra que começou em mim.
É a esse Deus que fez os céus, a terra e tudo que existe, que fez minha vida, que entreguei a minha vida quando eu entendi que havia nascido para Ele e por Ele.
Jesus é a razão do meu viver hoje, sem Ele não existe vida em mim, Ele é tudo em mim pois em mim não há bem algum.

Anúncios

Um comentário sobre “Meu encontro com Deus embaixo do chuveiro

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s