O Senhorio (esquecido) de Jesus Cristo

Se pregarmos salvação, sem as condições para seguir a Cristo, não formaremos verdadeiros discípulos, verdadeiros convertidos ao Senhorio de Cristo.

Se pregarmos apenas um evangelho de ofertas, como tem sido pregado nas igrejas, com todo ênfase na Salvação do homem e com todo o foco na procura da solução dos problemas dos homens, o que isso vai gerar?

Uma ” igreja” cheia de homens interessados em ser salvos e ir para o céu, contanto que quando cheguem lá, não encontrem Deus!
Eles querem ser salvos, querem ser abençoados, querem ir para o céu, mas não querem Deus, nem o governo de Deus em suas vidas.


“Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo.” (At 2.36)
Ao falarmos das bases para o governo de Deus, necessitamos esclarecer bem as implicações desse governo.
Para isto é necessário entender o que significa ter Jesus como nosso Senhor.O que significa a palavra Senhor?
A palavra Senhor, no tempo de Jesus e dos apóstolos, era Kyrios. Kyrios significava ser dono de alguém, senhor absoluto da pessoa. Ter o direito de vida e de morte sobre ela. Era o senhor dos escravos daquela época.
Se uma pessoa chamava alguém de Kyrios, estava dizendo que ele tinha autoridade e poder total sobre ela. O César romano era o kyrios, no império romano existiam vários reis debaixo do César, mas um só kyrios, que era César. Quando os apóstolos apresentavam Jesus não só como Rei, mas como o Kyrios, estavam colocando-o como autoridade máxima sobre todos, acima do próprio César.
O que é confessar Jesus como Senhor?
“Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mor- tos, serás salvo.” (Rm 10.9)
“Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa.” (At 16.31).
Quando os apóstolos diziam “Crê no Senhor (Kyrios) Jesus e serás salvo”, ou “Confesse Jesus como Senhor (Kyrios)”, estavam dizendo que a pessoa teria que reconhecer a Jesus como Senhor absoluto da sua própria vida ( Kyrios) para ser salva. Jesus se tornaria seu dono e tomaria as decisões na vida daquela pessoa.
Diferentemente do que se prega hoje que confessar é levantar a mão e ir até a frente da ” igreja” e ” aceitar” Jesus como Salvador.
O foco da pregação do Evangelho do Reino de Deus que Jesus veio anunciar aos homens e que os apóstolos anunciaram foi totalmente corrompido, mudado e alterado ao longo da história da igreja.
Hoje, na igreja contemporânea, o foco da pregação tem sido o homem, sua salvação e seu bem-estar. Onde entra o governo e o Reino de Deus sobre a vida daquela pessoa que está em outro reino? No reino das trevas?
Somente uma pregação do evangelho que apresente a Jesus como Senhor e dono, pode trazer verdadeira salvação.
Quando alguém dava crédito à palavra do Reino, isto significava uma en- trega total a Jesus e ao seu Reino, uma perda de toda sua vida; uma re- núncia de tudo por amor a Ele; uma mudança radical do rumo da vida.
O problema central do homem é a independência de Deus e somente uma pregação do evangelho que apresente a Jesus como Senhor e dono, pode acabar com a raiz do problema do homem, que é a independência no coração do homem, herança de nosso pai Adão.

image

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s